17/02/2016 7:20 pm

Formação “Escravo, nem Pensar!” acontece na URE de Imperatriz

O Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado dea Educação (Seduc), através de uma parceria com a ONG Repórter Brasil, realizou, nestas segunda (15) e terça-feira (16) mais uma etapa do projeto “Escravo, Nem Pensar!”, nas Unidades Regionais de Educação (UREs) de Acailândia, Balsas, Codó, Imperatriz, Santa Inês e São João dos Patos. O objetivo é desenvolver ações educativas em escolas da rede estadual de ensino, voltadas à prevenção e ao combate ao trabalho escravo.

A formação envolve profissionais que integram a equipe das Unidades Regionais de Educação (UREs) de Açailândia, Balsas, Codó, Imperatriz, Santa Inês, São João dos Patos e São Luís – responsáveis por 378 escolas em 76 municípios maranhenses, que são os mais críticos em relação à ocorrência de trabalho escravo e os principais polos emissores de trabalhadores que serão explorados em outros lugares do país.

O projeto “Escravo, nem Pensar!” prevê a formação de 10 mil professores que atuam em todos os segmentos e modalidades de ensino (Fundamental/Médio/Educação de Jovens e Adultos) de 72 municípios, em sete regiões do Maranhão, com meta para atender cerca de 190 mil estudantes.

Em Imperatriz, a formação continuada aconteceu com professores das escolas públicas estaduais, tendo como foco o desenvolvimento de projetos nas escolas e como missão difundir o conhecimento a respeito do tráfico de pessoas e trabalho escravo contemporâneo, como forma de combater essa violação dos direitos humanos.

Na abertura da formação, participaram da composição da mesa solene a gestora regional, Rosyjane Paula, e a diretora da UREI, Orlene Santana; representante da Delegacia Regional do Trabalho de Imperatriz, advogado Paulo Vinicius; do Centro de Cultura Negra Negro Cosme (CCNNC), Izaura Silva; e do Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos de Açailândia, Milton Teixeira Santos Filho.

“Esta é uma formação de grande importância voltada ao combate do trabalho escravo no Maranhão, por meio da prevenção. O projeto “Escravo, Nem Pensar!” considera que a maneira mais eficaz de erradicar violações aos direitos humanos, é pela educação devido ao seu papel transformador e libertador”, esclarece Orleane Santana.

“Essa formação é só o primeiro passo, frente a esta grande problemática que é o trabalho escravo contemporâneo. A educação é o caminho vital para se combater a escravidão ou qualquer tipo que situação análoga ao trabalho escravo, e que contrarie a dignidade humana”, destaca Rosyjane Paula.

A temática do evento foi apresentada pelas professoras Eró Cunha e  Doralice Mota aos participantes. Cada escola inscreveu três professores e recebeu um kit com todo o material (impresso e digital), utilizado na formação, que servirá de apoio para a socialização com alunos e professores. Algumas palestras fizeram parte da programação, como: “Trabalho Escravo: um desafio de todos”, com o professor Milton Teixeira Santos Filho, que é representante Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos de Açailândia; “Migrações e Trabalho Escravo”, com o professor Jailson Macedo Sousa; e “Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil”, com João Antonio Moreira França, que é agente da Campanha Nacional de Prevenção e Combate ao Trabalho Escravo pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Balsas (MA) e vice-presidente da Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo no Maranhão (COETRAEMA).

“É impressionante pensar que bem perto de nós há tantos índices de trabalho escravo. A escola precisa abrir os olhos para essa realidade e multiplicar a ideia de prevenção, combate e garantia dos direitos humanos. A temática é instigante e a formação realizada aqui na regional foi conduzida de maneira dinâmica e interativa. Somos agora multiplicadores. Escravo, nem pensar”, conta a professora Ízea Folha Damasceno Santos, que é coordenadora do CE Graça Aranha e que participou ativamente dos dois dias de formação.

No mês de março, a formação também será oferecida aos professores dos outros municípios (Davinópolis, João Lisboa, Senador La Roque, Buritirana, Amarante, Porto Franco, Estreito, São João do Paraíso, Campestre, Lajeado Novo, Montes Altos, Governador Edison Lobão e Ribamar Fiquene), que integram a Unidade Regional de Educação de Imperatriz.

Na regional de São Luís, que engloba os municípios de São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Raposa e Alcântara, a formação será realizada nos dias 23 e 24/02 (terça e quarta-feira).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fotos: Cida Marconcine/Divulgação

Publicações

Contato

Fones:
(98) 3194-7791

E-mail:

gabinete@edu.ma.gov.br
ascom@edu.ma.gov.br

Ouvidoria
0800 280 0166
(98) 3194-7721
(98) 3194-7722

www.ouvidorias.ma.gov.br

Horário de funcionamento:

Seg a Sex
08:00 às 17:00

Endereço

Rua dos Pinheiros, n.º 15, Qd. 16

Jardim São Francisco

São Luís – Maranhão

CEP: 65076-250

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO - Este obra está sob Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional - Portal desenvolvido pela SEATI